September 21, 2005

Instituto Superior T…

Posted in Dia-a-Dia, Education, Portuguese at 12:32 pm by pmatos

Custa-me ver um instituto como o IST a ser alvo de festas, arraiais, e mais festas e mais arraiais durante um ano lectivo cujo objectivo é estudar. Começa no início do ano lectivo com o arraial do caloiro e termina com outro arraial. Mas não fica por aqui, os arraiais seguem-se a um ritmo impressionante. E são tão bem organizados que me deixam a pensar… se os alunos se empenhassem a estudar como se empenham para organizar um arraial tiravam muito melhores notas.

Ah, mas desculpem… O arraial do caloiro justifica-se! É óbvio que com a entrada dos caloiros na faculdade, num mundo novo, a melhor coisa a fazer é um arraial para eles se ambientarem e lhes darem as boas vindas. Um Mega arraial é obviamente interessante pois é practicamente a despedida de mais um ano lectivo. Ah, desculpem, claro, que a existência do arraial da primavera também se justifica… nada melhor do que um arraial para receber a primavera e
o primeiro sol de verão com cheiro a praia de braços abertos.

E as desculpas seguem-se… arraiais seguem-se de arraiais que por sua vez se seguem de arraiais. Existem com certeza alunos, e não são poucos, que devem ser com certeza mais assíduos aos arraiais que às aulas que têm durante os semestres. É inacreditável!

Cheguei a pensar em tempos, quando entrei como estudante para o IST, que este era um local de estudo e de lazer (o que não é o mesmo de ‘festanças’). No entanto, tenho-me apercebido, ao longo dos meus últimos anos como estudante de Engenharia e agora como estudante de Pós-Graduação e como Docente, que quando mal me esqueci do arraial anterior já vejo um enorme palco à entrada do meu local de trabalho.

E não basta passar o ano com barracas e barraquinhas espalhadas pelo técnico quase mês-sim, mês-não ainda tenho que navegar na net e ler:

Todos os caloiros deveriam ser recebidos com uma festa assim! A reentré das Festas académicas é no Instituto Superior Técnico, com a MEGA FM!

29 e 30 de Setembro vais poder beber, dançar, rever os amigos ou entrar com o pé direito na vida de estudante universitário!

A questão é… qual a definição de estudante universitário para a MegaFM? Parece-me ser bem diferente da minha…

Resta-me fazer uma proposta. Ou se terminam com os arraiais dentro do recinto do IST, o que não implica que eles terminem, apenas que os façam fora do IST ou então que criem um novo instituto para fazer investigação e formar profissionais de elite.

Caso contrário, proponho ao Presidente da Câmara de Lisboa a mudança da Feira Popular para dentro do recinto do Técnico. Podemos inclusíve, manter as siglas e passarmos todos a conhecer um tão distinto, ilustre e prezado instituto num tempo distante como Instituto Superior das Tascas, de agora em diante.

43 Comments »

  1. bruno said,

    a tua vida académica foi só estudar, estudar, estudar, estudar, estudar, não foi? e nunca foste a um arraial e te divertiste como o pessoal agora diz que se diverte, pois não? só falará assim como tu falas alguém cinzento que não goste de festas e de paródia e de copos e de alegria.

    a vida é para ser vivida, pá. deixai lá os rapazitos divertirem-se!

  2. pmatos said,

    Eu nunca mencionei, apesar parecer ser essa a sua interpretação, de que os arraiais não se deveriam realizar. Acho que os arraiais se devem realizar, tal como jantares, almoços, etc. Estes não se devem realizar dentro do recinto do IST, porque não só prejudica a dignidade de uma instituição de investigação e ensino superior tal como prejudica aqueles que se encontram a trabalhar a essa hora.

    E é totalmente deplorável entrar no recinto no dia útil seguinte para leccionar (ou mesmo ter aulas) e encontrar o IST completamente “de ressaca” (i.e. cheio de lixo e não só). Felizmente este assunto é resolvido eficientemente mas não deixa de ser deplorável.

    Quanto à minha vida académica, esta não teve nada a ver com aquilo que descreve.

  3. caro paulo,
    concordo com a sua apreciação até porque o primeiro objectivo dos arraias é o alcool, quer o mascarem com música, a integração ou com convívio.
    para finalizar gostava de referir que muito pior que qualquer arraial é a situação que se passa à volta do IST mal caí a noite. toda a gente sabe, toda a gente faz piadas, toda a gente comenta mas ninguém toma medidas. pode-se dizer que de dia temos uma grande faculdade de engenharia que é o IST e à noite temos uma grande faculdade da vida que poderá chamar-se ISP.
    obrigado

  4. […] Algo que vale a pena referir, é que ninguém quer abolir a realização dos arraiais mas sim, a realização dos mesmos DENTRO do campus. No entanto, muitos parecem não entender isso, pensando que se pretende fazer com que os alunos se deixem de divertir mas ninguém pretende tal coisa, como já tinha referido anteriormente. Mesmo assim, recebi alguns comentários extra-longos e extra-’ordinários’ ao meu artigo, o que por razões óbvias foram removidos. […]

  5. Joao Pedro said,

    Bem… realmente a tua vida deve ser interessante :P
    Quer dizer, ainda ha akeles k n vao aos arraiais pk n lhes acham piada.
    Mas ficar revoltado com o facto de eles existirem ?!?! A vida n te deve tar a correr la mto bem se ficas revoltado por os outros se divertirem…
    Se saisses de traz dos livros de vez em qd reparavask há mto boa gente para kem o objectivo de vida n é unica e exclusivamente estudar…

  6. Martin-Man said,

    Olha pá só te tenho a dizer, vai a um bebe um shot, para senta-te na escadaria do central olha para a Alameda e vais-te aperceber da felicidade no rosto das pessoas e acredita que acabas-te de ver um raro momento em que a maioria desses estudantes se encontra verdadeiramente alegre durante todo o ano “Ali no Topo da Alameda”.

    Cumprimentos
    Carlos Martins – 47944 LEEC

  7. Rui Costa said,

    Devias ter aproveitado melhor os teus tempos de IST, o tempo não volta para trás e noto ai um certo recalcamento que devias de ter tratado. Não conheço ninguém a quem os arraiais dentro do campus tenham feito mal.
    Cumprimentos

  8. Glorfindel said,

    É engraçado como toda a tua argumentação se resuma a uma única questão: IMAGEM!!! Não estás preocupado com a qualidade do ensino, estás preocupado com a imagem. Não estás preocupado com a proficiência da investigação estás preocupado com a imagem. Não estás preocupado com a adequação à realidade profissional estás preocupado com a imagem. Devias dedicar-te a procurar e combater coisas mais sérias e perversas para a qualidade do IST do que quatro noites por ano em que há um bocado mais de ruído e animação que a realidade muitas vezes cinzenta do IST.

    Se procurares com algum afinco vais notar que essas quatro noites por ano são irrelevantes para os factores realmente preponderantes numa avaliação à qualidade do IST. Naturalmente a imagem como instituição conta, mas o que cria a imagem é o trabalho produzido e a qualidade dos profissionais formados no IST. Se já estiveste envolvido num ambiente empresarial, saberás que a motivação, por vezes mais que os conhecimentos científicos, é fundamental para o desempenho no trabalho e são eventos destes que permitem ajudar a motivar uma maioria. Esses sim trazem para o IST a imagem de excelência que pretende atingir.

    Finalmente os arraiais atraem jovens de faixas etárias inferiores e podem servir de “recrutamento” instigando-os a concorrer ao IST. E desses, alguns serão sem dúvida estudantes de qualidade, vindo enriquecer o património do Técnico.

    Sumarizando, só contestas a má imagem que as festas dão quando há problemas mais importantes com muito maiores consequências, e mesmo em termos de imagem é altamente discutivel que os arraiais tenham algum efeito negativo na mesma.

    Um abraço, amigos como dantes… mas não sejas um estraga festas.

  9. Campa said,

    A certo ponto é referido…

    “Acho que os arraiais se devem realizar, tal como jantares, almoços, etc. Estes não se devem realizar dentro do recinto do IST, porque não só prejudica a dignidade de uma instituição de investigação e ensino superior tal como prejudica aqueles que se encontram a trabalhar a essa hora.”

    O primeiro objectivo e função do instituto é ensinar e não investigar como é referido. Mas calculo que a passagem de aluno para investigador faça com que rapidamente as ideias e ideiais sejam alterados e reciclados para o que mais lhe interessa.
    Quanto ao artigo em si é a opinião pessoal de uma minoria, senão de uma singularidade.

  10. Grazina said,

    Caro Paulo,

    Devo discordar da sua apreciação do arraial. Não vejo que uma pessoa empenhada tenha o seu rendimento afectado por 3/5 dias por ano. Sempre fiz por ir a todos os arraiais, e muito sinceramente era o que me levava a aguentar a pressão psicológica que é passar um ano com uma carga de trabalho das mais intensas em cursos made in Portugal. Será discutível dizer que sem essas distracções o meu rendimento seria melhor. Muito provavelmente caíria num qualquer tipo de depressão juntamente com tantos outros amigos por não termos algo que nos “obriga” a estar juntos uma vez ou duas por semestre.
    É claro que cada pessoa tem a sua maneira de ser e tem os seus incentivos próprios para se aplicar no instituto, mas não me parece bem que se retire o principal incentivo da maioria das pessoas no IST, e parece-me um tanto egoísta não tolerar esses 3/5 dias por ano quando tanta gente tolera ~200 dias por ano de absorção total.

    Cordialmente,

    João Grazina

  11. pmatos said,

    Caro João Pedro, não percebo de todo o seu comentário. Como é possível que profira tais palavras? Leu o meu texto? Ou seu as entrelinhas? Ou apenas lhe disseram o que dizia? Cuidado com as distorções?

    Eu não tenho nada contra os arraiais. Mais, acho-lhes piada!
    Não acho, no entanto, que se devam realizar dentro do recinto do IST. Quer saber porquê? Leia o texto!

  12. pmatos said,

    Caro Martin-Man, nem sei que lhe responda. O seu comentário deve ter sido escrito durante uma qualquer aula de laboratório em que se pode aceder a um computador.

    Assista à aula e veja se sai do Técnico, visto que o seu número é assustadoramente baixo para ainda se encontrar a fazer o curso. Já agora, não se preocupe que acabando o curso pode continuar a ir aos arraiais, espero que não seja isso que o prende ao IST.

  13. pmatos said,

    Caro Rui Costa, nada no seu comentário faz sentido sem ser a sua tentativa de insultar utilizando a palavra ‘recalcamento’ que, por ventura, muito provavelmente nem sabe o que significa. Assim, recomendo-lhe que se nada tiver a dizer sobre o artigo, vá fazer algo mais interessante que injuriar as pessoas. Isto porque eu nunca disse que o arraial magoava as pessoas… Será que as pessoas lêem o que escrevo ou só comentam para fazer os outros perder tempo a ler inutilidades??? Isto parece ser género de spam não-automático o que ainda é pior que o usual…

  14. Martin-Man said,

    Ves como tu sabes, já sai do IST á algum tempo, mas o motivo da minha saida não foi pelo ritmo de estudo frenético, mas sim e em grande parte por não gostar de Lisboa (quer dizer, gosto das festas até pq nunca deixei de ir) o resto das minhas razões não tas vou divulgar.
    Não escrevi o meu comentário á pressa nem no meio de uma aula ou trabalho, é curto sim, mas diz tudo o que me vai na alma em relação ao teu post. E se não percebes até concordo com o que diz o João Pedro “Bem… realmente a tua vida deve ser interessante”, mas se o teu objectivo de vida é apenas estudar, investigar, trabalhar no INESC ou algo do género e arranjar um tacho como docente do IST, porque é assim que considero o trabalho de vários professores que encontrei no meu percurso por ai, então força conseguiste e espero que sejas muito feliz. O curso, o emprego para mim são apenas uma passagem da vida, onde se encontram também as festas e os arraiais, por isso se não gostas, afasta-te e ignora-os como eu normalmente ignoro pessoas como tu.

    “Ou se terminam com os arraiais dentro do recinto do IST, o que não implica que eles terminem, apenas que os façam fora do IST…”

    Dá para perceber que não queres acabar com os arraiais, agora o porque de não gostares que se façam dentro do IST, discordo totalmente, se o IST é grandioso até é de valor que não seja apenas pelo seu passado glorioso e por todas as celebridades que se formaram em tal instituição pública, respeito a maioria delas, mas sim ser também grandioso por conseguir proporcionar a todo o núcleo Universitário algumas regalias dignas desta Universidade, como tal, que melhor local para usufruir dessas regalias senão dentro dos muros do Instituto Superior Técnico.

    Cumprimentos
    Carlos Martins

  15. Márcio said,

    Muito sinceramente não há grande paciência para este tema pois já foi discutido em vários fóruns aqui do IST. De qualquer maneira não posso deixar de comentar as suas palavras que parecem-me por demais descontextualizadas, parciais e próprias de alguém que provavelmente não saberá a definição do conceito Sociedade.

    Num ponto concordamos: O objectivo do IST é formar e estamos cá para estudar, aprender, investigar…!

    De resto discordo inteiramente. Numa faculdade já por si impessoal devido à sua dimensão… o Arraial assume um papel importantíssimo, tal como assumem os jantares em casa de amigos, as saídas para o Bairro Alto, para a Expo… nós não somos máquinas… somos pessoas, que além de estudar precisamos também de ter uma quota parte de divertimento, de socialização… a forma como isso é feito depende de cada um mas que é um ponto assente que isso contribui de grande forma para um bom desempenho a nível académico é sem sombra de dúvidas uma certeza.
    Está mais do que provado que não basta um alto QI… tb é preciso um bom QE para atingir o sucesso!

    No seu caso, provalvelmente, será algo dispensável, desnecessário, sem significado… mas para a grande maioria das pessoas na sociedade em que está inserido… é algo vital para o equilíbrio psicológico.

    Eu, muito sinceramente, orgulho-me de no IST serem feitos os maiores Arraiais Académicos de Lisboa! Não é por duas noites por ano que os estudantes vão falhar… isso lhe garanto.

    Cumprimentos,
    Márcio

  16. Filipa Santos said,

    Passo a citar:

    “Ah, mas desculpem… O arraial do caloiro justifica-se! É óbvio que com a entrada dos caloiros na faculdade, num mundo novo, a melhor coisa a fazer é um arraial para eles se ambientarem e lhes darem as boas vindas. Um Mega arraial é obviamente interessante pois é practicamente a despedida de mais um ano lectivo. Ah, desculpem, claro, que a existência do arraial da primavera também se justifica… nada melhor do que um arraial para receber a primavera e
    o primeiro sol de verão com cheiro a praia de braços abertos. ”

    Todas estas linhas, escritas num tom ironico perfeitamente visível a qualquer imbecil que as leia, deixam bem claro que tu – desculpe a informalidade – não és apenas contra a realização dos arraiais dentro do recinto do IST; também os achas ridículos, irrisórios, despropositados… Por isso não te tentes defender dizendo que és apenas contra a realização deles dentro do recinto. É bem patente que tens um sentimento recalcado (e sei o que recalcado significa…) contra os arraiais mas isso não te dá o direito de quereres impor regras ou fazer ultimatos como “Ou se terminam com os arraiais dentro do recinto do IST, (…) ou então que criem um novo instituto para fazer investigação e formar profissionais de elite.” Felizmente esta utopia é só tua… Eu fui aluna do IST no curso de Engenharia Química, fui a TODOS os arraiais e formei-me em 5 anos. Porque gostei do curso, porque me interessei, porque estudei, o que não quer necessariamente que fosse a todas as aulas e deixo isso bem claro. Gosto e motivação valem mais do que uma hora a ouvir um Sr. Professor chato que não traz motivação e gosto de ensinar para dentro da sala de aula. Claro, há casos e casos e houve Professores que me marcaram pela positiva e a quem hoje em dia ainda escrevo e mando notícias, mas são raros. Porque são raros os docentes do IST que têm realmente gosto em ensinar. Porque têm de ensinar se querem fazer investigação… E houve mesmo um Professor que nos disse na cara que não gostava de dar aulas, que só o fazia para fazer investigação no IST… Fica a sinceridade… E pelos vistos tu és um destes porque, tal como “Campa” disse, o teu texto apenas deixa descortinar o lado de investigação do IST mas, acima de tudo, o IST é uma escola e, como tal, feita para as pessoas aprenderem. Se calhar, se demonstrasses mais amor pelo curso que tiraste e interesse pelos alunos que tens à tua frente, a tua sala estivesse mais cheia.

    A todos os que lerem isto e que sejam estudantes do IST, a todos os que tenham amor pela vida e que tenham consciência da sua efemeridade, deixo um conselho: vivam-na!! Aproveitem!! Da melhor maneira… para um dia, quando olharem para trás, poderem ter a certeza que a viveram, sem recalcamentos…

    Cordialmente
    Filipa Santos

  17. pmatos said,

    Bom dia, peço desculpa pela demora na colocação dos vossos comentários mas tenho sempre de filtrar uma data de spam automático e tenho tido pouco tempo. Prometo também responder-vos brevemente.

    Paulo Matos

  18. pmatos said,

    Caro(a) Glorfindel,

    Todo o teu comentário roda em torno da minha preocupação com imagem mas devo-te clarificar nalguns aspectos:
    1 – A imagem É importante;
    2 – O post não é sobre a qualidade do ensino no IST nem sequer sobre a qualidade de investigação no IST, nem sobre outra coisa qualquer. O que não quer dizer que não seja importante discutir estes tópicos mas sim porque não se trata destes assuntos que estamos a discutir.
    3 – É importantíssimo, para uma boa qualidade de ensino e para uma boa qualidade de investigação que exista um bom ambiente e não é possível a existência de um bom ambiente se se continuarem a realizar festas até às tantas da manhã dentro de um recinto de trabalho e de manhã quando as pessoas chegam bem cedo para trabalhar se deparam, como eu me deparei, com a quantidade absurda e nojenta de lixo que resultou do arraial passado.

  19. pmatos said,

    Caro Campa,

    Quanto ao objectivo do IST ser ensinar, teríamos de entrar noutra discussão, no entanto, referencio-te o artigo que podes encontrar online escrito pelo Prof. Michael Athans conhecido como IST vs MIT.

    A passagem de aluno para investigador não modifica nem modificou nada. Nem é sequer isso que está em discussão. Quanto ao facto de ser uma singularidade, garanto-te que se eu sou uma singularidade, e provavelmente sou num universo tão grande como o do IST, não sou, felizmente, a “única” singularidade.

  20. pmatos said,

    Caro João Grazina,

    Não sei, nem me interessa, se o teu rendimento é melhor ou pior com a presença dos arraiais. O que me interessa é que a existência de arraiais dentro do recinto prejudica tanto docentes, como não docentes e não só a nível de rentabilidade académica.

  21. pmatos said,

    Em geral, a todos os que comentaram este post, muito obrigado. É sempre interessante poder ouvir os vossos comentários.

    Gostaria de clarificar alguns pontos importantes. Não sou contra os arraiais mas sim contra a existência destes dentro do recinto, que vão contra, o objectivo deste mesmo recinto universitário. O facto de ter colocado um post sobre este facto não foi de todo uma reacção tempestiva e desqualificada de qualquer lógica. Foi um post sobre algo que sinto à muito, desde o meu tempo como aluno, e cujo estado do IST no final do último arraial me fez colocá-lo em discussão. O não ter discutido a qualidade de ensino, a qualidade dos docentes, investigação ou qualquer outro assunto de facto importatíssimo não significa que não me preocupe com eles mas sim que não foram estes os pontos que me propus a discutir neste post. Espero num futuro próximo discutir outras questões tão ou mais importantes que esta.

    Boa sorte a todos com os vossos cursos.

  22. pmatos said,

    Dada a popularidade deste post, aproveito e aqui vai um link onde podem ver o nosso IST em pleno dia após um arraial:
    http://www.math.ist.utl.pt/~holiv/fotos.html

    Nota: Não aconselhável a pessoas emocionalmente sensíveis ou que sofram do coração.

  23. […] Durante o ano de 2005 publiquei neste blog uma crítica à realização dos Arraiais do IST dentro do recinto do mesmo, o qual teve felizmente, muitos comentários. Um deles que me entusiasmou foi o de que eu não tinha ainda comentado situações graves de educação (ou falta dela) internas ao IST, outros problemas de falta de condições, problemas com docência, etc. Ora, chegou a altura de criticar outra das coisas que penso ser inadmissível. […]

  24. lpinto said,

    Sinceramente não há quem possa mais com estes geeks que não pensam em mais nada se não em estudar e na sua vida profissional. Já ouviste falar em vida social? Muito importante para o desenvolvimento de uma pessoa?

    É por causa de pessoas como tu que o nosso arraial agora mudou infelizmente de sítio e todos nós sabemos que assim não é de todo a mesma coisa. Portanto sempre conseguiram levar a vossa avante, espero que estejam contentes por terem digamos, abolido o arraial porque é mesmo este o termo que revela a situação desta grande festa académica neste momento. Eu tive oportunidade de ir ao arraial em Santos e não foi nem de perto parecido aos outros que foram organizados na Alameda, sítio que parece ter um tipo de magia qualquer. Também afinal de contas o IST e quase a nossa casa durante a maior parte do ano!!! Será que nos podem censurar por ter apenas 4 dias por ano (e só mesmo 4 dias por ano, não me venhas cá com a história dos arraias a mais porque são mesmo só DOIS!!) de divertimento dentro do recinto que é praticamente a nossa casa?

    Quanto à imagem acho que não tem muita lógica ter isso como argumento já que o IST para além de ser uma organização científica e de ensino é também UMA UNIVERSIDADE como todas as outras que temos no nosso país e não um grupo de cromos e nerds que estudam até cairem passando lá 5 anos das suas vidas (às vezes até mais mas como tu deves saber divertimento não implica a falta de aproveitamento escolar).

    Isto por esta andar qualquer dia também acabam com as praxes no IST e começam a praxar os caloiros na cidade universitária!!!Por amor de Deus…

  25. pmatos said,

    É óptimo saber que passado um ano ainda existem comentários a este post!

    Mas eu não me vou repetir sobre este assunto. Penso que está tudo dito.

    Já agora, quanto à tua metáfora de chamares o IST de tua casa: ainda bem que a fizeste, visto que tenho a certeza que se a considerasses mesmo tua casa, não farias de todo uma festa como o arraial dentro dela… Para além da imundice que ia estar no dia seguinte, ainda ias ter de perturbar as pessoas que vivem contigo e não querem participar na festa. Para prolongar a metáfora, ias por exemplo obrigar a tua mãe a tomar o pequeno-almoço do dia seguinte e a obrigar o teu irmão a participar na festa que coitado, só queria passar um tempinho de noite a jogar PS2. :-)

    De resto, já não pertenço ao Instituto Superior Técnico. Espero que quando voltar, se voltar, seja um mundo melhor que é actualmente. Um Instituto mais sério e com mais crédito académico internacionalmente.

  26. lpinto said,

    Pois é isso. Se esse é o teu maior argumento desde já te digo que és um grande egoísta!!!

    Enfim, como tu dizes o assunto está acabado e enterrado mas desde já te digo que um dia ainda podes vir a ter problemas na tua vida por causa desse egoismo todo. É um conselho…e quanto aquilo da PS2 nem vou comentar porque acho que nao vale a pena lol. Só espero um dia não me vir a tornar numa pessoa como tu.

  27. pmatos said,

    Egoísta?!? Não vejo porquê… esperava todos os nomes… mas egoísta?

    Bom, seja como for, não te preocupes, garanto-te que, pelo que dizes, muito dificilmente te tornarás uma pessoa como eu.

    Desde que cada um seja feliz tal como é, óptimo! O importante é que não nos incomodemos uns aos outros. E pessoas como tu em relação a este assunto em particular, já não incomodam pessoas como eu.

  28. Rotfl said,

    So uma pergunta, uma vez que o resto está mais que debatido…

    Vives, ou já viveste na Portela?

    Em caso afirmativo, justifica tudo o que li nos teus posts :)

  29. lolololol said,

    Isto so pode ser pa rir de certeza!!! o men enche-te de coco e da uma volta ao mundo a dizer: “tenho orgulho de ser um feliz estudante do tecnico sem frequentar arraiais!”
    lololololol
    deves ser uma personagem de certeza! é assim, gostas gostas, nao gostas, gostasses! é por pessoas assim km tu k cd ano q passa cd vez menos pessoas querem ir para o tecnico, e ou aquilo muda ou daki a uns anos fecha! sinceramente ainda m estou a rir, porque so pode ser uma piada!!

  30. pedro said,

    mas porque é que te errita tanto oa festa no ist? atrapalha pessoas como tu ke n kerem tar na festa?

  31. Tibursio said,

    Que vida terrível deves ter tido enquanto estudante deste instituto…

  32. pmatos said,

    Rotfl,

    A generalizacao implicita no comentario e explicitamente idiota.

  33. pmatos said,

    lolololol,

    Sabe ler ou precisa de ajuda? O seu comentario nada tem a ver com o post que acabou de comentar.

  34. pmatos said,

    pedro,

    1. Ler post
    2. Percebeu? Se sim, ir para 3, senao ir para 1.
    3. Optimo!

  35. pmatos said,

    Tibursio,

    Nem por isso… :) Ai, saudades…

  36. pmatos said,

    Comment by name: blasc, email: vascosimoesei@hotmail.com filtered.
    Please check: https://minorityblog.wordpress.com/2007/04/16/comment-moderation-guide/

  37. Xana said,

    Juro, mas juro que ainda não percebi o stress c os Arraiais….
    Não sou, nem pretendo ser estudante do Técnico, o que não invalida que me tenha formado numa outra faculdade publica portuguesa que também dá grandes festas… Nunca frequentei qualquer festa académica… e porquê? Porque Não! Mas não consigo perceber tamanho stress contra os Arraiais… ninguém é obrigado a frequentá-los…que eu tenha ouvido dizer as barraquinhas não matam nem esfolam ninguém por obra e graça do divino… e cada um faz da sua vida o que bem entende! Se passam mais tempo nos arraiais do que nas aulas, o problema é mera e esclusivamente deles!
    E bem hajam aqueles que têm capacidade de frequentar uma faculdade como o Técnico… com ou sem festas!!!
    Há ai alguma espécie de recalcamento… Enfim!!!

  38. pmatos said,

    Ah… recalcamento… não percebo ainda porque é que as pessoas que aprendem uma palavra nova sentem imediatamente necessidade de a usar… normalmente… mal!

  39. Xana said,

    Por acaso já há muito que recalcado consta do meu dicionário… aliás… para esclarecer mentes menos iluminadas aqui vai: Recalcamento – termo empregado por Freud, e muito utilizado em Psicologia, que significa o mecanismo de defesa pelo qual as ideias, as lembranças ou os sentimentos penosos são repelidos da consciência, podendo permanecer activos num plano inconsciente e originar comportamentos desadaptados;censura – parece extremamente adequado… Mas tenho duas novas palavras: ressabiamento, frustração!

  40. pmatos said,

    Bom, todos nós temos dicionário, no entanto, visto que te esforças-te acho que mereces uma resposta mais concreta ao teu comentário inicial. Nota que isto é apenas repetição do que já disse e redisse. Por pontos para ser mais fácil interiorizar a ideia:
    1 – Eu consigo perceber quem frequenta festas… eu também frequento festas (mas não o arraial). Aliás, eu gosto de festas!
    2 – Eu apoio o arraial, acho que deve existir (no entanto, proporia outro formato) _fora_ do técnico.

    O problema todo resume-se ao arraial (ou resumia-se) _dentro_ to instituto. Porque é que ele era prejudicial?
    1 – Prejudica quem no dia seguinte tem de deslocar ao técnico para ter aulas ou leccionar e encontra o instituto num balde de m*rda.
    2 – Mesmo que esteja tudo limpo pertuba quem está a trabalhar no instituto durante a realização do arraial. E sim, existem pessoas a trabalhar lá, mesmo que poucas é absurdo pedir-lhes que vão trabalhar para outro sítio por causa da festa. EI, AQUILO É UM LOCAL DE TRABALHO!!!!

    Quanto ás pessoas acho que se devem divertir e trabalhar (nas medidas certas de cada um), no entanto, no local de trabalho, a diversão de uns NÃO PODE atrapalhar o trabalho de outros! E isso invariavelmente acontece SEMPRE que existem arraias dentro do instituto.

    Quanto à capacidade dos que frequentam o técnico, com ou sem festas, o melhor é nem me pronunciar.

  41. Xana said,

    Ok… quem lê o post (como foi o meu caso) e não olha para os comments (como também foi o meu caso) fica com uma ideia não muito semelhante aquela que acabaste de me descrever…
    Mas por outro lado, será que 3 ou 4 dias de festa no ano prejudicam assim tanto aqueles que trabalham? Nâo deveria haver um pouquinho de flexibilidade por parte das mentes que querem “fazer investigação e formar profissionais de elite” ? O chamado nem 8, nem 80…
    Mas enfim… para quê continuar a gastar o nosso latim se o teu desejo já realizado?

    Boas investigações… :)

  42. Filipe said,

    Caro autor,

    A primeira coisa que peço que submeta à sua consideração é o facto de, num faculdade como é o Instituto Superior Técnico, tem de se gerir a diversidade. Nenhuma pessoa é igual a outra: temos uma noção diferente do que é a felicidade, da própria importância do sucesso académico. Para si o sucesso académico pode ser crucial e pode acreditar que esse é o método certo para lhe trazer felicidade. Pessoalmente também zelo por esse princípio. Mas não é por «três, quatro dias no ano» como vários comentários fazem notar, que o impedirão de seguir o seu método, a sua filosofia de vida. Porém, o que está a fazer é inibir os desejos dos outros. Repare que há alguns comentários que fazem este mesmo reparo, por outras palavras.

    Sugiro a leitura de «Mais Platão, Menos Prozac» de Lou Marinoff, da Presença.

    Cumprimentos

  43. Pedro Pereira said,

    pmatos concordo consigo em os arraiais não se realizarem no técnico…mas quem lê o seu post e os suas respostas aos comentários só chega a uma conclusão…. você parece ser um aborrecido de primeira e ainda não tem idade para isso!

    Se no entanto levar isto muito a peito e quiser argumentar usando o seu discurso eloquente e posição “priveligiada” de ex-docente-assistente-convidado do I.S.T. passo a citá-lo: “I don’t have much free time, but the time I do have free I spend on blogging, scheme, maths, playing the classical guitar and reading”. Felicidades para a sua carreira académica!


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: