January 17, 2007

Doutores, Professores, Engenheiros…

Posted in Dia-a-Dia, Education, Portuguese at 11:32 pm by pmatos

Em Portugal existem Doutores, Professores ou Engenheiros… para além destes existem os bestas!

Temos os tipos que trabalham em construção civil à 500 anos, e que apesar de não terem curso, são os engenheiros… temos os tipos com 4 ou 5 cursos que nunca conseguiram emprego, mas dão explicações, logo… são os Professores… e ainda me lembra de ter que chamar Doutora à assistente dos servições de acção social da UTL e é se queria receber bolsa!

Esta cultura tem consequências… uma grave é a relação aluno/docente que não é alterada como consequência de Bolonha ou de outras alterações que possam ocorrer no ensino. Tem de ser alterada, isso sim, a mentalidade. Tanto dos alunos como dos docentes. Acho piada por vezes aos meus alunos que cada vez que me enviam um email a pedir ajuda, mesmo depois de me ter afastado do técnico, este inicia-se com “Caro Professor Doutor Paulo Matos,”. A primeira coisa que me ocorre é: “Este está mesmo a precisar de ajuda…” pois parece que a única outra opção que tinha é começar a disparatar e chamar-me nomes menos bonitos como : “Óh sua besta,”.
A verdade é que nenhuma das formas me parece correcta. Primeiro, não sou Doutor, segundo, não sou Professor e também não me parece que seja uma besta. No entanto, percebo ambos os lados. Infelizmente do lado do aluno é mais seguro chamar todos os prefixos de “enfiada” do que falhar um e não receber uma resposta positiva. Por outro lado, os docentes quando recebem tais emails receiam que mais à vontade com os alunos lhes permita que estes os desrespeitem. Isto porque a ideia é… quantos mais prefixos tiver, mais respeitado sou. Basta verificar que se me identificar como Engenheiro Paulo Matos tenho um tratamento diferente perante quaisquer serviços do que se me identificar por Paulo Matos. Bom, verdade se diga, é que nem Engenheiro sou pois segundo parece este título se restringe àqueles que suportam a Ordem, o que não é o meu caso!

Acontece que esta distânciação e esta necessidade de títulos para a pessoa poder ser respeitada é uma falsidade. Muito espantado fiquei eu com a relação aluno/docente existente aqui em Southampton, seja Professor com 30, 40 ou 50 anos, seja aluno de licenciatura, mestrado ou doutoramento todos felizmente temos um nome e tratamo-nos todos pelo nome que nos foi atribuido. As relações correm da melhor forma e ninguém se desrespeita pois todos conhecem o seu lugar. Em Portugal, se um docente sonhar em permitir que um aluno lhe chame pelo nome está a permitir por pouco que este lhe dê um carolo… ora, a questão está na mentalidade. Todos nós temos que nos respeitar. Infelizmente esta necessidade de títulos está enraizada na nossa sociedade e aquele que não tiver um título pode ir apodrecer no canto mais escuro do inferno porque é um zé-ninguém.

Agora, não estou com isto a dizer que por vezes não seja conveniente usar o título que a pessoa possui por uma razão de cordialidade, tal como vestimos um smoking para nos encontrarmos apresentáveis para uma festa importante. Não é, no entanto, necessário que tal referência seja regular, obcessiva, maníaca ou exagerada. O que leva a que as coisas corram bem é sim o respeito mútuo que devemos ter para com todos, seja um amigo, um conhecido, um docente, um Professor Catedrático, um administrativo ou a porteira do prédio.

Infelizmente, a sociedade não se modifica com posts, nem com discursos… nem sequer tentarei argumentar como se modifica uma sociedade, no entanto, penso que devemos todos ter em conta que respeito nada tem a ver com títulos, e quanto a mim, muito gosto do nome que minha mãe me deu. Obrigado Mãe!

10 Comments »

  1. Marco said,

    Na escola onde me licenciei, o ambiente era muito descontraido, tanto entre docentes como entre funcionário, isto para e com os alunos, por isso os emails foram quase todos na base do “Professor xpto”, ou “eng. xpto”, e lá está por respeito, mas nada de sr dr prof eng cardeal bispo etc etc etc. Já na empresa onde trabalho o ambiente é como esse nada de eng nem dr, na escola onde dou aulas os funcionários tratam os professores todos por igual, dr ou dra, mesmo pedindo para eles acabarem com isso eles continuam com o dr ou dra.

    Mas estou contigo os titulos deveriam ser proibidos, qd me perguntam pq n uso o titulo de eng digo sempre que não paga a uma ordem só para usar um titulo, mas tb n faço questão de usar titulos. se ainda fosse Rei…

  2. Eu normalmente, quanto envio mails a professores, começo-os quase sempre com “Bom dia/tarde professor” ou então com “Professor XYZ, bom dia/tarde”, e termino-os tão simplesmente com “Atentamente, com saudações académicas”.

    E tem resultado! :)

  3. Tenho um amigo que é engenheiro professor doutor e mais qualquer qualquer coisa mais mantém relações de amizade com os alunos para além das aulas, o que acontece é que a maior parte deles não consegue trata-lo por tu ou até mesmo por você, o que torna as coisas por vezes um pouco estranhas quando se está num grupo de amigos. Não é por imposição dele nem nada que se pareça, os alunos é que não conseguem ultrapassar a barreira do titulo.

  4. Ah e já agora, eu tal como o João Craveiro, também sempre tratei os meus professores por Professor, e nada mais. Felizmente na Faculdade onde estudei náo se ligava muito a títulos, ao contrário do que acontece nos Institutos Técnicos/Politécnicos.

  5. Mário Lopes said,

    “Tem resultado”, leia-se “consigo fazer a cadeira sem ter de saber nada”.

    :-x

  6. @Mário: Nada que se pareça, sequer.

  7. @José Marques:
    “Felizmente na Faculdade onde estudei náo se ligava muito a títulos (…)”
    é a mesma! :p

  8. Eva said,

    Concordo totalmente, e fico positivamente surpreendida por ler este post. Vou colocar um link para os meus alunos lerem.

  9. Sttau Almeida said,

    Parece-me que faz sentido utilizar os títulos no contexto da actividade profissional. Quanto aos abusos, só assinalam a falta de educação de quem os comete.

    O único título que uso ao me endereçar ao corpo docente é o genérico “Professor/a”, base de todos os títulos honrosos, e uso-o por sincero respeito. Agora que me fizeste pensar nisso, tenho de arranjar uma forma de distinguir os verdadeiros pedagogos daqueles docentes que não tomam grande prazer ao nos transmitir conhecimento. Thanks a lot!

    Não me lembro de ter tratado a assistente dos SAS da UTL por Dr.a, apesar de a telefonista me ter corrigido quando eu telefonei a marcar a entrevista!

    Sttau Almeida

  10. […] in Educação, Portuguese, Dia-a-Dia at 10:30 am by pmatos Já aqui tinha falado do que penso sobre títulos. Logo, aqui também se aplica, e muito feliz fiquei por verificar que existem outros [aqui e aqui] […]


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: