August 16, 2007

Séries “House” e “Sexo e a Cidade”

Posted in Dia-a-Dia, Portuguese at 5:17 pm by pmatos

Dado que tenho algumas cópias de House M.D. e Sexo e a Cidade, ambas 1ªs épocas completa, e totalmente novas.

Coloquei-as à venda em miau.pt para aqueles que tiverem interesse:

House M.D.

 Sexo e a Cidade

April 13, 2007

Parabéns Sr Primeiro Ministro…

Posted in Dia-a-Dia, Portuguese at 10:44 pm by pmatos

Não, não, o nosso Primeiro Ministro não faz anos (acho eu, nem sei quando os faz, nem me interessa!) mas merece os Parabéns… e porquê?

Bom, não que seja meu costume discutir ou comentar política ou políticos mas penso que neste caso devo abrir uma excepção. Através da RTP Online [wmv, real, mp3] tive oportunidade de ver o debate que decorreu no passado dia 11 relativamente aos 2 anos de mandato (que na verdade mais parecia ser sobre as últimas 2 semanas).

Ora, comecemos pelos comentários particulares passando posteriormente para os generalistas. Quanto a todas as questões relativamente a estas últimas semanas em relação ao ser e não ser Eng. do PM, este sai-se lindamente.

Conseguiu explicar a todos aquilo que se passou e com toda a lógica. Não percebi, no entanto, a implicação dos repórteres relativamente ao facto de este ter escolhido a UnI. O PM explicou e bem… ora se a UnI fica perto do ISEL e se na altura era uma Universidade bem vista (lembremo-nos que nesta encontra-se um dos reconhecidamente mais populares físicos portugueses, o Prof. Carvalho Rodrigues) penso que é razão que chegue para ele decidir candidatar -se à UnI. Foi de facto, a insistência dos repórteres que me aparvalhou, de certeza que estes quereriam encontrar algum buraco para tentar enterrar mais o nosso PM mas não conseguiram. Para que foi aquele pergunta completamente idiota de se ele foi ou não aconselhado por alguém para ir para a UnI? Bom, resumidamente : Parabéns Sr. PM!

Foi impecável ele ter consigo os seus certificados e até as facturas das propinas… [onde é que já devem estar as minhas…] Contra factos não há argumentos. Parabéns Sr. PM!

O PM ia às aulas? Ora, ora, ora… mas que é que isso interessa? Que viria a seguir se ele dissesse que não? “Pois Sr. Primeiro Ministro, lá está, não ia às aulas e conseguiu passar a tudo. Uma façanha dessas deve de ter tido um bocadinho de ajuda, não?” Ai, ai… Parabéns Sr. PM!

Com que então, o Sr. PM colocou o seu Prof. António José Morais num cargo do seu governo. Quem virá a seguir? O seu Prof. de Educação Física? Talvez para Ministro da Agricultura ou dos Transportes ou… Epá! Mas que raio de lógica da batata é esta? OK, calhou um Professor fazer parte do Governo, e então? Durante a vida de uma pessoa temos mais de 100 Professores, calhou um fazer parte do Governo e já se pensa que é uma conspiração! Parabéns Sr. PM!

Quanto ao Eng. na página eu já disse tudo em posts anteriores… a explicação do Sr PM foi perfeita. Parabéns Sr. PM!

O resto da conversa resumiu-se à questão da economia que o Sr. PM explicou e muito bem. Obviamente não se pode agradar a gregos e a troianos. Se se está a impôr uma reforma na função pública, vão existir pessoas prejudicadas, é necessário apesar de tudo de acreditar que será melhor para o país a longo prazo. Por outro lado querem que o Sr. PM resolva os problemas do mundo em meio-dia… ora, o Sr. PM é só um homem. Querem o quê? Parabéns pelas suas respostas e explicações Sr. PM.

Também se falou da Ota, dos impostos e pouco mais… a verdade, é que numa entrevista de 1h27m, 40 foram para as últimas 2 semanas. Os outros 47 para o resto dos 2 anos. Parece-me correcto! Faz todo o sentido!

Ora meus amigos, principalmente a nossa cara Maria Flor Pedroso, onde é que tirou o curso? Ia a todas a aulas? Quantas cadeiras fez? Acho que é melhor investigarmos isto porque pelo mau espectáculo que deu na entrevista ao Sr PM… Se fosse seu Professor ainda a chumbava retroactivamente às cadeiras que fez… Ai, ai…

Parabéns Sr. PM…

(e logo eu que nunca gostei do PS, e não votei nele!)

April 7, 2007

Sócrates… o nosso Primeiro Ministro

Posted in Dia-a-Dia, Education, Portuguese at 10:30 am by pmatos

Já aqui tinha falado do que penso sobre títulos. Logo, aqui também se aplica, e muito feliz fiquei por verificar que existem outros [aqui e aqui] a pensar nos mesmos moldes que eu. É inadmissível que num país com tantas lacunas, tantas falhas e tantos problemas, andem agora a perder tempo a discutir se o Sócrates é Engenheiro ou não! A questão é, governa bem ou não governa bem? O resto não interessa. Até podia ser papa… se não governasse bem nós não o quereríamos para Primeiro Ministro [acho eu!].

Assim sendo, repito aquilo que o Paulo Vilela já disse e muito bem: “vamos acabar com os senhores doutores e os senhores engenheiros. Vamos todos ser senhores ou senhoras. Ou Paulos, Manuelas, Josés, Carlas, Joaquins. Vamos ser mais competentes, e menos pretenciosos.”

February 17, 2007

E fez-se justiça…

Posted in Dia-a-Dia, Portuguese at 3:56 pm by pmatos

Tenho estado muitíssimo ocupado e infelizmente não consegui escrever mais cedo sobre este tema mas não quero deixar de congratular os portugueses que votaram “Sim” no referendo de Domingo passado. Sem saber, penso que aqueles que não votaram e aqueles que votaram Não também ficaram a ganhar. Em suma, Portugal ficou a ganhar.

Um dos próximos passos? Legalizar o matrimónio entre homossexuais!

February 7, 2007

Quanto ao aborto…

Posted in Dia-a-Dia, Portuguese at 11:56 pm by pmatos

De facto, pensei umas quantas vezes antes de começar a escrever. No entanto, vale a pena pois infelizmente não sei se vou poder votar cá em Inglaterra.

Eu voto SIM (com letra grande), isto porque tanto quanto sei este sim é até às 10 semanas. Ora, eu sou mais liberal nesse aspecto e votaria sim na mesma, se o periodo fosse mais longo. Sou sincero, não percebo o que leva as pessoas a dizerem não. Nem sei sequer caracterizar o “nao” sem dizer asneiras. Muito menos consigo caracterizar as mulheres que votam “não”. Alias, o voto das mulheres até devia contar por 2. Isto porque apesar de o aborto também dizer respeito aos homens, não podemos deixar de dar crédito ao facto de as mulheres serem as mais afectadas com o resultado da votação.

Como não consigo caracterizar o voto dos outros ao menos, vou caracterizar o meu “SIM”, ok, se calhar não vou tão longe mas caracterizo então apenas o meu “sim”.

Em primeiro lugar está a mulher. Ser humano que coabita entre nós muito antes de um feto, o qual tem primazia sobre qualidade de vida. Por outro lado, o feto não pode ser, nem pode ter os mesmo direitos a que tem um ser humano. A mulher deve poder escolher que a sua vida se encontra primeiro que a possível vida que um feto virá a ter.

Questiono-me por vezes qual a razão pela qual as pessoas valorizam tanto a vida de um feto. Se ele sofre? Bom, talvez, mas também se abatem animais todos os dias não só para nosso belo conforto mas pelas mais variadas razões e não acredito que as pessoas pensem que o animal sofre e acredito que sofra muito mais que o feto. Mesmo que eu não colocasse estas questões, o feto é um feto, por mais que sofra, é possível que a mulher venha a sofrer mais com o seu nascimento. E não me venham dizer que onde se alimenta 3, alimenta-se 4… Bullshit! Usando indução dessa forma posso então provar o que bem entender. A verdade é que invariavelmente a mulher pode acabar por ter piores condições de vida, ou acaba por dar terríveis condições de vida à criança.

Mais, normalmente quem se lixa é quem não tem possibilidades. Quem tem, vai abortar a um país que tenha o aborto legalizado. Quem não pode é que sofre. Se filha minha tivesse que abortar, pois era óbvio que apesar de poder ter possibilidades para sustentar a criança nunca iria obrigá-la a sacrificar a sua vida académica, profissional ou emocional se ela não desejasse a criança. Levava-a a um país onde fosse legal fazê-lo e o problema estava resolvido. A questão é… o que é que acontece às pessoas que não podem? Ou morrem a tentar abortar ou então criam uma criança que acaba invariavelmente num jovem delinquente. E para delinquentes já Portugal tem muitos, obrigado! Logo… voto SIM!

January 17, 2007

Doutores, Professores, Engenheiros…

Posted in Dia-a-Dia, Education, Portuguese at 11:32 pm by pmatos

Em Portugal existem Doutores, Professores ou Engenheiros… para além destes existem os bestas!

Temos os tipos que trabalham em construção civil à 500 anos, e que apesar de não terem curso, são os engenheiros… temos os tipos com 4 ou 5 cursos que nunca conseguiram emprego, mas dão explicações, logo… são os Professores… e ainda me lembra de ter que chamar Doutora à assistente dos servições de acção social da UTL e é se queria receber bolsa!

Esta cultura tem consequências… uma grave é a relação aluno/docente que não é alterada como consequência de Bolonha ou de outras alterações que possam ocorrer no ensino. Tem de ser alterada, isso sim, a mentalidade. Tanto dos alunos como dos docentes. Acho piada por vezes aos meus alunos que cada vez que me enviam um email a pedir ajuda, mesmo depois de me ter afastado do técnico, este inicia-se com “Caro Professor Doutor Paulo Matos,”. A primeira coisa que me ocorre é: “Este está mesmo a precisar de ajuda…” pois parece que a única outra opção que tinha é começar a disparatar e chamar-me nomes menos bonitos como : “Óh sua besta,”.
A verdade é que nenhuma das formas me parece correcta. Primeiro, não sou Doutor, segundo, não sou Professor e também não me parece que seja uma besta. No entanto, percebo ambos os lados. Infelizmente do lado do aluno é mais seguro chamar todos os prefixos de “enfiada” do que falhar um e não receber uma resposta positiva. Por outro lado, os docentes quando recebem tais emails receiam que mais à vontade com os alunos lhes permita que estes os desrespeitem. Isto porque a ideia é… quantos mais prefixos tiver, mais respeitado sou. Basta verificar que se me identificar como Engenheiro Paulo Matos tenho um tratamento diferente perante quaisquer serviços do que se me identificar por Paulo Matos. Bom, verdade se diga, é que nem Engenheiro sou pois segundo parece este título se restringe àqueles que suportam a Ordem, o que não é o meu caso!

Acontece que esta distânciação e esta necessidade de títulos para a pessoa poder ser respeitada é uma falsidade. Muito espantado fiquei eu com a relação aluno/docente existente aqui em Southampton, seja Professor com 30, 40 ou 50 anos, seja aluno de licenciatura, mestrado ou doutoramento todos felizmente temos um nome e tratamo-nos todos pelo nome que nos foi atribuido. As relações correm da melhor forma e ninguém se desrespeita pois todos conhecem o seu lugar. Em Portugal, se um docente sonhar em permitir que um aluno lhe chame pelo nome está a permitir por pouco que este lhe dê um carolo… ora, a questão está na mentalidade. Todos nós temos que nos respeitar. Infelizmente esta necessidade de títulos está enraizada na nossa sociedade e aquele que não tiver um título pode ir apodrecer no canto mais escuro do inferno porque é um zé-ninguém.

Agora, não estou com isto a dizer que por vezes não seja conveniente usar o título que a pessoa possui por uma razão de cordialidade, tal como vestimos um smoking para nos encontrarmos apresentáveis para uma festa importante. Não é, no entanto, necessário que tal referência seja regular, obcessiva, maníaca ou exagerada. O que leva a que as coisas corram bem é sim o respeito mútuo que devemos ter para com todos, seja um amigo, um conhecido, um docente, um Professor Catedrático, um administrativo ou a porteira do prédio.

Infelizmente, a sociedade não se modifica com posts, nem com discursos… nem sequer tentarei argumentar como se modifica uma sociedade, no entanto, penso que devemos todos ter em conta que respeito nada tem a ver com títulos, e quanto a mim, muito gosto do nome que minha mãe me deu. Obrigado Mãe!

December 23, 2006

Desenhos Animados… a Nostalgia!

Posted in Dia-a-Dia, Portuguese at 2:13 pm by pmatos

Ainda no outro dia estava num jantar familiar a discutir com a minha namorada, o meu irmão e a minha prima Isabel, os desenhos animados das nossas vidas e não à dúvida que sejam estes quais forem, nos marcam bastante. De tal modo, que os gostamos de relembrar e quando o fazemos e ouvimos a entrada velhos tempos nos assolam e sentimos imediatamente um nervoso muidinho consequência da nostalgia.

Assim, decidi ir ao Youtube e recordar os bons velhos tempos… o que por si só não significa que os tempos actuais sejam piores, mas são sem dúvida bastante diferentes!

October 9, 2006

Preso por disparar… preso por não disparar…

Posted in Dia-a-Dia, Portuguese at 8:08 pm by pmatos

Era só o que faltava… Enquanto passeava aos zig-zags pelas notícias de Portugal deparo-me com notícias inquietantes que não podia de deixar de comentar. Se por um lado os oficiais da GNR disparam contra o jovem para o impedir de fugir, são levados a tribunal e já vão arranjar um ’31’. Por outro lado, se não disparassem era provavelmente mais um que andava em Portugal sem fazer nenhum e a roubar. Ora, não se admite que dificultem a vida desta forma à nossa autoridade. Sendo esta, a autoridade portuguesa, não os podemos algemar e pedir que continuem a manter a segurança como nós gostaríamos.

Faz-me lembrar a educação. Diz-se aos Professores dos primeiros ciclos:

Sr. Professor, pode chumbar o aluno, mas claro, o Encarregado de Educação poderá reclamar junto da escola e se não conseguir nada poderá pedir recurso ao Ministério da Educação. Isto não só lhe trará montes de burocracia para resolver, como uma data de chatices… aliás, nos dias que correm ainda é capaz de apanhar um enxerto de porrada do aluno, ver o seu carro riscado e depois levar do encarregado de educação que é para existirem certezas que não faz queixa do aluno que tentou chumbar…

RESULTADO: NINGUÉM CHUMBA!!!!

Qualquer dia os polícias pensam: “Mas que raio, se eu grito com ele, ele não pára… se eu disparo arranjo problemas… ora, deixa-o ir que eu cá quero é calma na minha vidinha e chegar à reforma com tudo no sítio.”

Notem no ciclo então que entramos se aceitarmos, por hipótese, que a falta de educação leva ao crime.

O barco assim… vai mesmo afundar!

September 17, 2006

Anedótico…

Posted in Dia-a-Dia, Portuguese at 11:42 pm by pmatos

De facto, isto aconteceu…

Aproxima-se o Sr. Manuel da Pastelaria mais próxima a um velhote que se encontra sentado numa das mesas e diz:
– Que é que deseja?
– Uma salada com tarde de legumes e um arroz doce, por favor.
[…]

Já depois de comer aproxima-se o Sr. Manuel e diz:
– Sabe quem faz o arroz doce?

Muito atrapalhado responde o velhote:
– Err, a sua esposa?

E o Sr. Manuel com um sorriso de orelha a orelha…
– Nãaaaaaao, é o açucar… Então, quem é que acha que haveria de fazer o “arroz” doce?

September 14, 2006

Nova FNAC

Posted in Dia-a-Dia, Portuguese at 2:37 pm by pmatos

A FNAC inaugurou entre ontem de manhã e hoje de manhã uma nova página (visto que ontem ainda tinha a página de construções).

Apesar do estilo parecer o mesmo, a página é muito mais navegável e parece-me mais simples… Infelizmente ainda recebo uns erros internos que parecem ter a ver com um servidor Microsoft qualquer… Bom… é pena uma boa loja estar a correr sobre ferramentas Microsoft! :-\ Seja como for, espero sinceramente que brevemente a página se encontre mais estável!

Cá está… se tentarem de momento fazer uma procura recebem (pelo menos se a procura for feita do Konqueror, não experimentei outros browsers):

The page cannot be found
The page you are looking for might have been removed, had its name changed, or is temporarily unavailable.

Please try the following:
If you typed the page address in the Address bar, make sure that it is spelled correctly.

Open the http://www.fnac.pt home page, and then look for links to the information you want.
Click the Back button to try another link.
HTTP 404 – File not found
Internet Information Services
Technical Information (for support personnel)
More information:
Microsoft Support

Next page